Como fazer o lançamento contábil do CMV?

Como fazer o lançamento contábil do CMV?

Conta contábil do custo de vendas

Se você tem uma empresa que se dedica a uma atividade de compra e venda e realiza um inventário, você precisará saber como funciona a Variação de Estoque. Neste guia, vamos explicar o que é e como calculá-lo.

A contabilidade da empresa está repleta de termos e conceitos que devemos lidar se quisermos administrá-la adequadamente. Um desses conceitos é Variação de Estoque, e como veremos nas linhas a seguir, é um conceito que deve ser utilizado pelas empresas ou negócios que se dedicam à compra e venda e que possuem bens que podem ser inventariados.

Assim, entende-se por variação de estoque a diferença entre o estoque inicial (matéria-prima, mercadoria e outros suprimentos) e o estoque final no final do período contábil.

O que vai como despesa para a demonstração de resultados são os bens consumidos, aqueles que foram utilizados no exercício da atividade, seja para vendê-los ou para fabricar outros produtos.

Exemplos de registros contábeis de inventário

Em seguida, analisaremos de perto o custo de vendas e por que ele é tão importante; revisaremos a fórmula do custo de vendas e lhe daremos algumas dicas sobre como otimizar o custo de vendas de sua empresa.

Custo de vendas é um indicador de vendas que determina o valor do estoque vendido (e criado, se você for o fabricante) em um período. A fórmula analisa todos os custos diretamente atribuíveis ao que você vende, qualquer que seja o produto; e se você é o fabricante, a mão-de-obra direta para produzi-lo.

Refere-se aos produtos acabados que você tem. A determinação do estoque inicial é crucial para o cálculo do custo das vendas. Este inventário se refere aos ativos que sua empresa possui e se baseia no custo do inventário registrado no início de um período contábil.

  O que significa a estrutura ir de em espanhol?

Refere-se ao custo do que você comprou durante o período contábil. Isto inclui o custo da matéria-prima para fabricar um produto, compras feitas e suprimentos relacionados, bem como o salário dos funcionários, o custo de envio e aluguel para seu negócio.

Entrada no livro de inventário de abertura

No Capítulo 3, Gastos e receitas. Determinação do lucro ou perda para o período foi explicado como as contas que as representam – neste caso, compras e vendas – permitiram que o lucro ou perda do período fosse determinado pela simples transferência de seus saldos para a conta 129, “Lucros e perdas”, e, portanto, não apareceriam no balanço na data de encerramento. Entretanto, os inventários mantidos pela empresa devem ser mostrados no balanço patrimonial.

Para designar os estoques detidos pela empresa, devem ser usadas contas pertencentes ao grupo 3 “Estoques”. Estes devem ser mostrados no lado do ativo do balanço avaliado ao preço de compra ou ao custo de produção. No final do período, os estoques mantidos no início do ano devem ser desreconhecidos e os estoques mantidos no início do ano devem ser adicionados ao balanço patrimonial. As entradas de saldo para estas alienações e adições estão representadas nas contas dos subgrupos 61 ou 71 “Mudanças nos inventários”, conforme descrito neste capítulo. Posteriormente, os saldos das contas em ambos os subgrupos são transferidos para a conta 129 “Lucros e perdas”.

O custo das vendas é um ativo ou um passivo

As vendas são transações comuns em qualquer negócio e devem ser totalmente contabilizadas. São transações que, a curto e médio prazo, podem lançar luz sobre a liquidez e a rentabilidade do negócio, e seu registro é de grande importância para fins de imposto de renda. Em outras palavras, para manter a boa saúde financeira, é essencial registrar adequadamente as vendas.

  Quem é o tomador na nota fiscal eletrônica?

Os especialistas recomendam fazer um lançamento contábil para cada fatura de venda à vista emitida, e não um bloco de faturas, como alguns contadores tendem a fazer. Esta prática pode levar a problemas na apresentação de relatórios às autoridades fiscais e pode dificultar a preparação de demonstrações financeiras.

Não se esqueça de registrar o respectivo movimento externo de mercadorias ou estoque, pois isso faz parte, de certa forma, do processo de contabilidade de uma venda. Afinal de contas, lembre-se que a contabilidade é integral.

Por outro lado, há um pagamento que, no caso de vendas a crédito e de acordo com o Princípio de Regularização, tem que ser registrado no momento em que o evento econômico surge e não até o momento em que ele é recebido.